You and both♥

Porque eu sou fiel aos meus sentimentos. Vou estar com você quando eu realmente quiser estar. Vou te ligar quando eu quiser falar com você. Porque eu não passo vontade. E nem vou passar vontade de você. Não vou fazer joguinho. Eu me entrego mesmo. Assim. Na lata. ♥ you and i both You hold me in your hands, you won't let me fall, you steal my heart

Pediste-me que te escrevesse algo feliz, talvez o segredo para a abertura perfeita do teu sorriso, ou a maneira como cruzas as pernas como se não soubesses que és o fim do mundo e o começo de mim.

Amar é beber um cheiro.
É transporta-lo para dentro de nós.
Amamos uma mulher quando cheiramos ao seu cheiro…

Saudades do teu rosto, do teu cheiro, do teu gosto, da tua pele, dos teus abraços…
Saudades do conjunto de ti. Saudades de ti…

O essencial é invisível aos olhos. Quem ama vê além da aparência física e é isto que ama: a essência.

O muito que te quero dizer é pouco para dizer quanto te quero.

Espero por ti na praia deserta, não temendo nada nem o próprio tempo.
Sei que chegarás com o vento pela benção da onda mais suave e persistente,
e me beijarás ao jeito da brisa que envolve e sabe a sal.
Então, dispensarei todas as gaivotas, e serei eu quem redesenhará o céu.
Ao sabor de ti…

- Estou tão feliz.
- Nem sequer sei se isto é felicidade.
- …
- Sei que ultrapassa tudo o que algum dia senti.

O que nos une ainda não foi inventado,
podem chamar-lhe amor, talvez amor,
mas é um simples eufemismo, um tão pequeno eufemismo, uma palavra tão diminuta, tão exígua,
o que nos une não cabe em palavras.

- Porque não te despes?
- Estou despido. Esquece as roupas. Estou despido. Estou despido como nunca estive.

- Diz-me tu: gostas do que estás a sentir?
- Adoro. Sabes que adoro.
- Então mostra-me que adoras. Vá. Mostra-me que adoras.

As mãos perdidas à procura de se perderem mais.
Nenhuma mão apaixonada sabe o caminho.
E por isso procura, indaga.
E encontra.

Trazes o relógio azul que te dei pelo aniversário e a promessa de um beijo, é o que basta para te abrir os braços e te convidar para debaixo dos lençóis,
há tanto frio em mim quando não estás,
já fechei as janelas e os olhos e não há maneira de adormecer, ouve-se a cidade cheia de pessoas e nenhuma és tu,
Deus acontece pela diferença,
e pela maneira como quando chegas me sorris e me pedes perdão por mais um atraso, o escritório e reuniões, quase dez segundos até que sem falar te diga para vires e te abraçar por dentro,
há só uma vida e és tão inacabável em mim.

Encontramo-nos como sempre no centro do abismo, as tuas veias grossas, chamo-te ao espaço em mim onde nem a pele ousa chegar, e acontece amor,
apetece tanto continuar parada, só a ouvir as respirações a acalmar, a boca seca, mas não arrisco perder um segundo distante dos teus lábios, tenho de guardar o instante, cada um, falar-te ao ouvido a dimensão do que te quero, pousar a cabeça no teu peito e esperar que nunca mais haja depois,
mas em poucos minutos já não estás, descobres as horas e a cama vazia outra vez, pedes desculpa, enfias o corpo, como preciso do teu corpo, debaixo da roupa, beijas-me ao de leve sem dizeres que me amas, e sais do quarto, já com o telefone na mão e tu a atenderes,
estou sim,
e pela forma como falas talvez seja a tua mulher a perguntar se demoras. 

1 2 3 4 5 Próxima